• RIO GRANDE DO SUL
    (51) 3785-4944
  • SANTA CATARINA
    (48) 4042-2779
  • PARANÁ
    (41) 4042-3009
  • SÃO PAULO
    (11) 3042-3949
  • (51) 98189-0833
BLOG

ENTREGA E ASSISTÊNCIA TÉCNICA EM TODO BRASIL.
CONDIÇÕES ESPECIAIS NO TELE-VENDAS

EPI para empilhadeira: dicas de segurança durante o processo

18 de outubro de 2017
Gestão de Frotas

Um dos veículos mais utilizados para movimentar materiais e produtos nos depósitos e armazéns das empresas é a empilhadeira, que eleva e desce cargas pesadas de grandes alturas. Por essa razão, há uma preocupação com a segurança, em especial no que diz respeito ao uso do EPI para empilhadeira.

Confira nosso artigo para conhecer algumas dicas sobre como o profissional deve operar o equipamento de forma segura.

1. Certificação do profissional

Uma das principais formas de prevenção de acidentes é contar com a experiência dos operadores no manuseio das cargas. Muitas empresas requerem que os motoristas possuam CNH da categoria B para a contratação.

Além disso, a certificação do operador de empilhadeiras não elimina a necessidade de aperfeiçoamento constante. Contratar profissionais com experiência prévia e sem histórico de acidentes é uma medida que pode ajudar a minimizar os riscos de acidente.

2. Uso obrigatório dos EPIs 

A utilização de Equipamento de Proteção Individual (EPI) é obrigatória tanto para quem opera a empilhadeira quanto para quem circula nas imediações. É responsabilidade da empresa fornecer a proteção a seus funcionários, inclusive sob pena de multa e interdição pelas autoridades competentes.

O empregado também tem o direito e a obrigação de se proteger em seu ambiente de trabalho. Os principais EPIs para a prevenção de acidentes são:

  • óculos: impede que partículas de poeira e outros compostos entrem em contato com os olhos;
  • luvas: protege as mãos durante o manuseio das cargas;
  • protetor Auricular: protege os ouvidos contra ruídos excessivos no ambiente;
  • capacete: equipamento padrão para a circulação dentro de armazéns.

3. Inspeção da empilhadeira

A prevenção de acidentes deve fazer parte do cotidiano de quem opera uma empilhadeira. Por isso, antes de colocar o equipamento em funcionamento é preciso checar o estado dos pneus, se há vazamento de óleo e o funcionamento das luzes e faróis.

A verificação das travas do garfo para não derrubar a carga é indispensável. Também é imprescindível o teste dos freios e da embreagem. Caso exista qualquer tipo de irregularidade, deve-se comunicar ao superior responsável e a utilização da máquina deve ser suspensa.

4. Obediência às regras de segurança

A área de segurança do trabalho é responsável por criar medidas protetivas para todos os ambientes da empresa. Também é sua função garantir que as normas de proteção ao trabalho estão sendo observados por todos os funcionários.

Para disseminar as práticas, é fundamental a realização de treinamentos constantes e fiscalizações periódicas, para controlar a adesão e obediência às normas.

5. Manutenção do maquinário

A empilhadeira é um recurso importante na logística e a interrupção de suas atividades pode ser prejudicial à empresa. Para garantir que o maquinário permaneça em boas condições de uso, é necessário realizar manutenções frequentes.

Uma empilhadeira danificada pode gerar altos custos de reparo e paralisará a produção. Caso seja necessário substituí-la, o valor gasto pode ser altíssimo. Por isso, a manutenção periódica é essencial.

6. Cuidado na operação

A empilhadeira circulará em áreas frequentadas por outros profissionais e é dever do operador observar as regras de segurança para a proteção de todos. Ele deve ficar atento ao trânsito de pessoas e a objetos próximos do local de operação.

É preciso evitar a circulação de pessoal embaixo dos garfos levantados ou próximo da máquina. Deve-se, também, realizar o manuseio somente de cargas estáveis e bem acondicionadas.

7. Respeito à capacidade da máquina

A empilhadeira é dotada de garfos e outros dispositivos de sustentação de carga. Tem a capacidade de deslocamento de materiais tanto no sentido horizontal quanto vertical. Por essa razão, não se deve transportar cargas mais altas que o protetor, para evitar risco de quedas.

É preciso centralizar a carga nos garfos, para não provocar o tombamento da carga ou da própria máquina, o que poderia causar, além de prejuízos, a lesão de outras pessoas e, até mesmo, a morte de algum trabalhador.

A cultura de segurança em primeiro lugar e a conscientização sobre EPI para empilhadeira são relevantes para a preservação da vida dos trabalhadores.

Gostou do nosso conteúdo? Deixe sua opinião nos comentários.

Compartilhe:

Nossos
CLIENTES

Entre em contato, tire suas dúvidas!