• RIO GRANDE DO SUL
    (51) 3785-4944
  • SANTA CATARINA
    (48) 4042-2779
  • PARANÁ
    (41) 4042-3009
  • SÃO PAULO
    (11) 3042-3949
  • (51) 98189-0833
BLOG

ENTREGA E ASSISTÊNCIA TÉCNICA EM TODO BRASIL.
CONDIÇÕES ESPECIAIS NO TELE-VENDAS

Manutenção corretiva: entenda o que é como evitá-la!

29 de agosto de 2017
Serviços

Todos os equipamentos, independentemente do tipo ou segmento, precisam de manutenção em algum momento de sua vida útil. É esse procedimento que ajuda a garantir o bom funcionamento durante o ciclo operacional, ou seja, sua finalidade é manter o equipamento operante.

Na verdade, o conceito de manutenção varia conforme o tipo de operação a fazer. Existem diferentes tipos de manutenção, sendo que uma das mais conhecidas é a corretiva.

Mas o que é manutenção corretiva? Deve ser evitada? Quais seus benefícios e desvantagens? É desse assunto que o post de hoje vai tratar. Continue a leitura e tire suas dúvidas!

O que é manutenção corretiva

A manutenção corretiva é aquela efetuada com a finalidade de recuperar as funções do equipamento, especialmente as mais importantes e fundamentais para a execução das operações, extinguindo as falhas e erros que estão obstando seu bom desempenho.

A chave para distinguir a manutenção corretiva de outros tipos de manutenção é que ela só é possível quando os erros já aconteceram, ou seja, o equipamento já está danificado de alguma forma.

Os momentos em que a manutenção corretiva pode acontecer

Há duas situações básicas em que a manutenção corretiva pode acontecer.

A primeira delas é quando acontece um dano imprevisto, como a quebra de componente de uma empilhadeira, por exemplo.

No segundo caso, a manutenção corretiva acontece porque foi relatado um problema. Esse relato se tornou possível graças a um programa que acompanha as condições do equipamento. Um exemplo desse segundo caso seria a manutenção depois que foi detectada a vibração do motor da mesma empilhadeira.

A manutenção corretiva planejada

Diante de um dano, a manutenção corretiva pode ser planejada ou não planejada. Primeiramente, vamos considerar a manutenção corretiva planejada.

Ela acontece em empresas que aplicam a manutenção preditiva, ou seja, são desenvolvidas operações que preveem e programam intervenções de correção nos equipamentos. Assim, existe um planejamento que assegura que as operações serão mais ágeis e seguras, além de também mais baratas.

Na manutenção corretiva planejada, o conserto é realizado conforme o monitoramento preditivo. A manutenção preditiva acompanha o estado das máquinas periodicamente, fundamentando-se na avaliação de dados que são coletados por meio de inspeções de campo ou de monitoramentos.

Dessa forma, a manutenção preditiva evita inconvenientes, como a desmontagem desnecessária do equipamento, que podem comprometer o desempenho e até mesmo causar danos a ele.

Com a manutenção preditiva, portanto, reduz-se a necessidade de operações corretivas de emergência não planejadas.

A manutenção corretiva não planejada

Compreendendo o que é a manutenção corretiva planejada, fica fácil entender a manutenção corretiva não planejada.

A manutenção corretiva que não é planejada é aquela que efetua reparos de forma aleatória. Diante de um dano inesperado, não existe tempo para preparar o serviço, resultando em perdas no ciclo operacional e na qualidade dos produtos. A empresa também terá custos mais altos, incluindo aqueles indiretos associados à produção.

Essa manutenção é efetivamente a mais onerosa para empresas e indústrias em geral, pois implica na interrupção abrupta da programação até que o equipamento seja reparado. Nesse caso, surge o problema denominado de “lucro cessante”: com o equipamento parado, a empresa perde oportunidade de ganhar dinheiro, deixando de lucrar (o lucro cessa).

Outros tipos de manutenção

Atualmente, diante do desenvolvimento de outros tipos de manutenção (estimulados, inclusive, pelos recursos tecnológicos mais avançados), a manutenção corretiva não é muito recomendada, mas certamente ainda se faz necessária em diferentes ocasiões.

A manutenção corretiva pode ser aplicada junto com outros tipos de manutenção. Mais acima, falou-se sobre como a manutenção preditiva e corretiva podem atuar conjuntamente. Mas se percebe que, com a manutenção preditiva, a manutenção corretiva alcança melhor qualidade, tornando-se planejada.

À medida que a empresa faz uso de outros tipos de manutenção, a manutenção corretiva vai se tornando cada vez menos necessária, o que é vantajoso visto que ela interfere negativamente na produtividade e nos ganhos.

Esse raciocínio fica óbvio quando fazemos uma comparação muito apropriada. O que é melhor: evitar uma doença ou tratá-la com remédios? Somente pessoas sem bom senso responderão que a segunda alternativa é a melhor.

Equipamentos parados representam capital de giro imobilizado, queda na produtividade, funcionários ociosos e, não raro, atendimento deficiente ao cliente.

Para compensar os limites da manutenção corretiva, existem outros tipos de manutenção, como a preventiva e a detectiva. A preventiva estimula as possibilidades de problemas, programando correções e recondicionamentos nos equipamentos. Como ela, de certa forma, simula todas as situações possíveis de falhas, ajuda a reduzir drasticamente as possibilidades de danos e degradações nos equipamentos.

Resumindo, a manutenção preventiva consiste na intervenção programada, antecipando-se à data do evento (aparecimento do problema).

Já a detectiva garante a produtividade e a segurança dos equipamentos. Ela age considerando sempre o longo prazo, sendo sua finalidade parecida com a da manutenção preditiva. Mas, na manutenção detectiva, é importante identificar sinais ocultos que podem conduzir a algum dano. Entre as ferramentas de manutenção detectiva, estão: inspeção anual, testes com válvulas variadas, detectores de fumaça e fogo, equipamentos elétricos, entre outras.

Vantagens e as desvantagens da manutenção corretiva

De qualquer modo, vale a pena considerar o que a manutenção corretiva oferece de bom e quais são suas desvantagens. Na verdade, o ideal é evitá-la sempre que possível para não ter prejuízos financeiros ou mesmo correr o risco de perder equipamentos — deixar para cuidar de um equipamento somente quando ele apresenta falhas pode ser tarde demais.

As vantagens da manutenção corretiva:

  • Quando se trata de equipamentos não críticos, o ciclo operacional pode não ser prejudicado e a manutenção corretiva acaba implicando em menos custos para a empresa (são casos não muito comuns, mas possíveis);
  • A manutenção corretiva planejada, atuando em parceria com a manutenção preditiva, pode oferecer bons resultados na empresa;
  • A manutenção corretiva pode ser a solução restante quando os outros tipos de manutenção falharem (devido à inabilidade dos funcionários ou à falta de recursos suficientes e/ou ferramentas apropriadas).

As desvantagens da manutenção corretiva:

  • Custos altos com peças, serviços e trabalhadores;
  • Equipamentos indisponíveis para a execução das operações (quanto mais tempo sem funcionar, pior será para a empresa);
  • Queda na produtividade, o que gera perdas para a empresa;
  • Pode ser responsável por acidentes e agravos ao meio ambiente.

Gostou do post? Se deseja saber mais, sugerimos que leia nosso artigo sobre o que é manutenção preditiva!

Compartilhe:

Nossos
CLIENTES

Entre em contato, tire suas dúvidas!