• RIO GRANDE DO SUL
    (51) 3785-4944
  • SANTA CATARINA
    (48) 4042-2779
  • PARANÁ
    (41) 4042-3009
  • SÃO PAULO
    (11) 3042-3949
  • (51) 98189-0833
BLOG

ENTREGA E ASSISTÊNCIA TÉCNICA EM TODO BRASIL.
CONDIÇÕES ESPECIAIS NO TELE-VENDAS

[Post estendido] Conheça os 4 principais equipamentos para movimentação de cargas

27 de junho de 2019
Empilhadeiras

As tecnologias mudaram a maneira como um gerente de logística deve atuar em seu dia a dia de trabalho. Como as ferramentas de trabalho são cruciais para o sucesso,  é necessário conhecê-las e manuseá-las com eficiência. Conhecer os principais equipamentos para a movimentação de carga é um exemplo do que faz diferença no sucesso logístico da empresa.

Conhecer melhor esse maquinário ajuda a melhorar o tempo gasto na entrega, fazer uma melhor gestão de estoque e ter agilidade na solução de problemas.

No post de hoje, mostramos os quatro principais equipamentos para movimentação de cargas em uma empresa e todas as suas variações. Aproveite a leitura!

O que são equipamentos para movimentação de cargas?

A logística é uma área estratégica para a grande parte das empresas, representando um importante diferencial competitivo. Para que ela flua de forma eficiente, é fundamental investir em equipamentos de movimentação de cargas a fim de que se possa aproveitar melhor o espaço físico dos almoxarifados, ter mais segurança em suas operações e agilizar o transporte e o armazenamento de produtos.

Os equipamentos de movimentação de carga são equipamentos e máquinas, manuais ou automatizados, utilizados para mover cargas intermitentes, em diversos percursos com a distância variada e superfícies e espaços apropriados, em que a principal função é transportar e/ou manejar.

A escolha do tipo de equipamento a ser utilizado para a movimentação de carga deve ser baseada no tipo de mercadoria a ser trabalhada e a área disponível para a alocação ideal do maquinário.

Optar pela ferramenta ideal de transporte e movimentação de cargas é fundamental para alcançar as principais metas da logística no que consiste em trabalhar no menor tempo, sem perder a qualidade dos produtos e visando sempre a redução de custos.

Cada um tem um propósito e características próprias. Assim, é importante conhecer bem os principais equipamentos para movimentação de cargas para uma melhor tomada de decisão.

Quais são os principais equipamentos para movimentação de carga?

1. Empilhadeiras

As empilhadeiras já fazem parte de toda empresa especializada em logística. Elas são equipamentos amplamente utilizados para carregar e descarregar mercadorias e produtos.

Com elas é possível movimentar cargas que variam entre 1.000 e 16.000 kg sem que seja aplicado grande esforço humano.

Entretanto, assim como todos os outros equipamentos do ramo logístico, é necessário saber manuseá-las corretamente. Com o objetivo de evitar acidentes e outros problemas para sua gestão e funcionários, coloque essas ferramentas de trabalho em mãos capacitadas, para usá-las com eficiência e praticidade.

Existem vários tipos e modelos. Assim, elas podem funcionar a combustão de gás liquefeito de petróleo (GLP) ou a bateria tracionária. Para o primeiro caso, recomenda-se utilizá-las, devido à emissão de gases poluentes, em ambiente externos. Já para a segunda situação, os ambientes internos são excelentes locais de trabalho.

Mostramos, abaixo, alguns de seus exemplos. Confira:

Empilhadeira retrátil

A empilhadeira retrátil é um modelo compacto, ideal para o trabalho em ambientes internos pequenos ou de difícil locomoção e que possibilita o alcance de locais mais altos. Então, ela oferece o melhor aproveitamento na relação altura x corredor x versatilidade.

Por ser alimentada por uma bateria elétrica, ela não emite agentes poluidores na atmosfera e faz com que sua gestão promova a preservação do meio ambiente, o que também é mais seguro em ambientes fechados.

Além disso, ela é composta por uma torre que se movimenta de acordo com as necessidades e dos comandos de seu operador. Com isso, os esforços realizados por seus colaboradores são mínimos, prezando por sua segurança e aumentando a produtividade.

Outra vantagem desse equipamento é a fácil substituição em casos de quebra ou necessidade temporária de uso, como em inventários de warehouse.

Empilhadeira patolada

Por não apresentar robustez em sua estrutura, a operação e a manutenção da empilhadeira patolada não trazem grandes custos para uma gestão empresarial.

Nela, seu operador deve trabalhar de pé, andando ou a bordo, mas lembre-se que isso deve ser realizado sempre levando em consideração a ergonomia e a saúde de seus colaboradores.

Então, essa é uma de suas maiores vantagens, pois, com essas alterações, é possível adequar seu equipamento de maneira confortável e que aprimore cada atividade realizada.

Não se esqueça que seus movimentos de tração e elevação são acionados eletronicamente, garantindo, assim como os outros exemplos, a ausência de esforços físicos.

Empilhadeira Contrabalançada

Nas empilhadeiras contrabalançadas, seu operador fica sentado. Seu nome tem origem no peso localizado na parte de trás do equipamento que é utilizado para equilibrar as solicitações da carga, fazendo com que o sistema não perca o equilíbrio.

Elas são ótimas opções para ambientes largos e externos e para movimentar cargas em grandes distâncias.

Lembre-se também que elas podem funcionar com motor elétrico ou a combustão.

2. Transpaletes

O transpalete é um equipamento muito antigo. Sua principal função é o deslocamento de materiais ordenadamente e com poucos custos, facilitando a vida de quem trabalha em um estoque.

Então, é preciso ter cuidado ao designá-los para a realização de alguma função, pois, eles são destinados apenas para movimentações horizontais, o que dificulta os trabalhos em altura.

Além disso, para que essas atividades sejam facilitadas, suas rodas devem ter bons rolamentos.

Entretanto, é necessário ter cautela ao escolher o tipo de suas rodas. Para pisos lisos e abrasivos, devido ao seu pequeno coeficiente de atrito, grande resistência e baixo custo, o nylon é a opção correta.

Já em casos mais sensíveis, como os pisos pintados e usinados, o poliuretano é a solução ideal. Esse material também pode ser utilizado quando o objetivo é ter menos ruídos, pois sua superfície é mais macia do que a do nylon.

Confira também alguns de seus tipos:

Transpalete manual

O transpalete manual é uma ótima ferramenta de trabalho para quem atua na descarga de produtos em armazéns e docas.

Com a sua capacidade de carga para 2.500kg ele pode ser utilizado na movimentação de mercadorias paletizadas com segurança e eficiência por um operário.

Transpalete elétrico

O transpalete elétrico, como o seu próprio nome diz, é um equipamento de tração e elevação por acionamento elétrico. Para manuseá-lo, seu operador deve ficar de pé e andando.

Ele é indicado para a movimentação de cargas a médias distâncias horizontais, sendo amplamente utilizados em indústrias e docas de todo o país.

Tomando pequenos cuidados em seu dia-a-dia e graças a qualidade de seus componentes, os custos com sua manutenção são reduzidos.

3. Guindastes

À medida que as cargas vão ficando maiores e mais pesadas, é necessário utilizar equipamentos adequados e prontos para suportar esses esforços, sendo o guindaste um de seus principais exemplos.

Como a agilidade e a segurança são dois importantes pilares de uma logística de sucesso, eles devem ser utilizados sempre que necessário.

Desse modo, a construção civil, as indústrias, os terminais portuários e aeroportuários e todas as outras áreas que exigem mobilidade no manuseio de um carregamento utilizam os guindastes.

Atualmente, existem vários tipos, como:

Grua

Também conhecida como guindaste de torre universal, a grua foi criada para transportar cargas tanto na vertical quanto na horizontal. É um equipamento durável e versátil. Ao manter a sua manutenção adequadamente pode durar por várias décadas. O controle por meio eletrônico permite que máquina trabalhe de maneira mais suave além de auxiliar na economia de energia.

Pinça ou multiangular

Muito utilizada na construção civil, é uma ferramenta que pode ser desmontada apesar de ter grandes dimensões e pesado. Seu formato, geralmente, é treliçado. Sua base se divide em duas extremidades sendo que uma delas é composta pela pinça elevatória ascendente e/ou descendente e na outra, um enorme contrapeso que estabiliza o maquinário para evitar a sua queda.

Pórticos

Os pórticos são mais usados em portos com intuito de manobrar e descarregar grandes contêineres ou contentores e também embalagens logísticas padrão de transporte de mercadorias com capacidade de até 20 metros cúbicos. Essa ferramenta tem força suficiente para carregar até 12 contêineres de 20 m cúbicos cada um. Em alguns casos, suportam mais do que isso.

Grua florestal

Esse tipo de guindaste é comumente usado para carregar toras de madeira em caminhões ou carretas específicas, as quais são transportadas para indústrias de transformação para a produção de papel e celulose, carvão vegetal e para o abastecimento de caldeiras.

Munk

Esse guindaste rodoviário ou também chamado de truck-crane, é muito empregado na construção civil, montagem de estruturas metálicas, descarga de máquinas e movimentação de silos, tanques e outros. Ele é montado sobre caminhões de chassi alongado ou algumas marcas disponibilizam caminhões convencionais já estruturados com o munk.

4. Transelevador

Os transelevadores são robôs desenvolvidos para armazenar produtos de forma automatizada, tanto em paletes quanto em unidades de pequenas dimensões. Eles se deslocam ao longo dos estoques, utilizando toda a altura do galpão com a função de alocar mercadorias e movimentá-las na entrada e saída do armazém. Além disso, a automatização permite o transporte de produtos para a sua apresentação no posto de picking.

A exatidão na movimentação das mercadorias dentro do almoxarifado agiliza as atividades internas de logística, o que torna todo o processo da cadeia de suprimentos mais eficiente. Isso significa que há um aumento considerável da produtividade principalmente nas etapas de armazenagem e separação de pedidos.

Existem vários tipos de transelevadores, que variam conforme as caraterísticas do estoque e das mercadorias a serem manipuladas. O equipamento pode ser montado de acordo com o layout do armazém. Entre os principais tipos podemos destacar:

  • Unit load: criados para manipular mercadorias em paletes que, nesse caso, podem ser um pouco mais pesadas;
  • Mini load: esse tipo foi desenvolvido para armazenar produtos em unidades ou caixa, de peso menor e tamanhos reduzidos.

5. Pontes Rolantes

A ponte rolante é um tipo de equipamento de elevação e transferência de carga, das mais variadas características, possibilitando o seu deslocamento dentro de uma área fixa.

São mais empregadas para transferir produtos volumosos, pesados e desajeitados como os materiais a granel, a distâncias menores, dentro de um armazém ou em chão de fábrica.

Podem ser encontradas no tipo ponte rolante apoiada, suspensa, uni-viga ou dupla-viga. A escolha depende muito da disponibilidade física do local e do material a ser transportado além da velocidade esperada para a movimentação.

6. Comboios

Esse equipamento, também conhecido como carrinho-comboio, funciona de maneira similar a uma locomotiva. Ele é formado por vários compartimentos em seu prolongamento ideal para o transporte de cargas volumosas.

Ele é muito utilizado em companhias de médio e pequeno porte com a finalidade de rebocar vagonetas (vagões menores) compostas por determinados tipos de produtos. Além disso, eles podem transportar um grande número de carga a médias e longas distância de maneira segura e econômica.

Assim como as empilhadeiras, os comboios também podem percorrer distâncias menores utilizando-se de artifícios simples, flexível e baixo custo.

7. Esteiras transportadoras

Os ambientes de trabalho de empreendimentos logísticos são marcados por grandes dimensões e tamanhos. Então, para não perder tempo na localização e no transporte de mercadorias, as esteiras transportadoras são ótimas soluções para a otimização do tempo em uma gestão.

Elas são projetadas para dinamizar a movimentação de produtos em uma empresa, garantindo agilidade e segurança.

Como consequência disso, não é necessário a presença de uma pessoa para transportar ou carregar essas mercadorias, reduzindo os danos às suas estruturas ou embalagens e evitando lesões físicas em seus colaboradores.

Lembre-se que a racionalização dos processos e a redução dos custos são suas principais vantagens.

Qual é a importância de escolher bons equipamentos?

Depois de conhecer alguns dos principais equipamentos para movimentação de carga, ficará mais fácil fazer a identificação do método mais apropriado para a sua empresa.

Além de conhecer bem as ferramentas disponíveis no mercado, outros fatores também devem ser levados em conta para uma melhor tomada de decisão como:

  • tipo de embalagem que acompanha a mercadoria;
  • espaço disponível para a alocação do recurso;
  • layout do local;
  • modo de armazenagem: unitização, paletização ou conteinerização;
  • estrutura do armazém, dentre outros detalhes.

Além disso, contar com o auxílio de empresas especializadas para assessorar nessa questão é uma ótima ideia. Eles já possuem todo o know-how necessário para facilitar a sua aquisição de ferramentas fundamentais para o processo de movimentação de carga.

Uma escolha certa pode trazer inúmeros benefícios para empresa como:

  • redução de custos;
  • agilidade nos processos de armazenagem e transporte de materiais;
  • qualidade na realização das tarefas;
  • aumento da produtividade;
  • alavancagem na lucratividade do negócio;
  • reconhecimento no mercado por desenvolver atividades com excelência.

Com o objetivo de melhorar a performance de seu setor logístico, um gerente deve manter-se em constante atualização, tendo o controle sobre sua equipe de trabalho e prestando um serviço que atende às exigências de seus clientes.

Ao conhecer os principais equipamentos para movimentação de cargas, você está preparado para resolver problemas corriqueiros, agilizar os processos internos e garantir a confiabilidade nos diagnósticos. Neste artigo, você conheceu melhor sobre os tipos desse equipamento e agora está mais íntimo do setor.

Gostou do nosso post? Se quiser receber mais assuntos interessantes e manter-se atualizado, assine a nossa newsletter!

Compartilhe:

Nossos
CLIENTES

Nossas unidades

Temos unidades em 4 Estados

RIO GRANDE DO SUL

Berto Círio, 158,
São Luis - Canoas/RS

(51) 3785-4944

SANTA CATARINA

Rodovia José Carlos Daux,
4150 Florianópolis/SC

(48) 4042-2779

PARANÁ

Av. Cândido de Abreu, 776
Curitiba/PR

(41) 4042-3009

SÃO PAULO

Rua Sgt Alcides Oliveira, 549
São Paulo/SP

(11) 3230-6774