• RIO GRANDE DO SUL
    (51) 3785-4944
  • SANTA CATARINA
    (48) 4042-2779
  • PARANÁ
    (41) 4042-3009
  • SÃO PAULO
    (11) 3042-3949
  • (51) 98189-0833
BLOG

ENTREGA E ASSISTÊNCIA TÉCNICA EM TODO BRASIL.
CONDIÇÕES ESPECIAIS NO TELE-VENDAS

Você sabe qual o melhor momento para trocar a empilhadeira?

28 de novembro de 2017
Gestão de Frotas

Empilhadeiras são equipamentos fundamentais para as atividades em galpões, centros de distribuição e armazéns. A sua versatilidade permite realizar tarefas como carga e descarga de veículos, movimentação de grande volume de materiais e empilhamento de produtos. Muitas empresas empregam frotas de empilhadeiras, pois essa ferramenta tem a capacidade de agilizar o trabalho e torná-lo mais seguro para os trabalhadores da área. A sua presença é estratégica e tem impacto na gestão de estoques de uma organização.

Por essa razão, é tão importante manter os veículos bem conservados para maximizar a utilização da máquina, aumentar a sua vida útil e garantir a sua operação de maneira segura. Uma das preocupações das empresas é saber qual é o momento ideal para trocar a empilhadeira. Em períodos de austeridade econômica, a opção mais comum é postergar a troca do veículo e continuar realizando reparos sempre que houver defeitos.

Contudo, essa prática pode ser desvantajosa em longo prazo. Todo investimento deve ser avaliado cuidadosamente, comparando a relação custo-benefício de aquisição de uma nova empilhadeira. É preciso avaliar não somente os custos para a aquisição de um novo equipamento, mas também o impacto na operação do armazém.

Confira uma lista de fatores importantes que os gestores devem levar em consideração antes de tomar uma decisão:

Queda de produtividade

É um fato conhecido que uma empilhadeira usada já não tem a mesma capacidade produtiva que uma nova. Essa diferença vai se manifestar na necessidade frequente de realizar reparos, um gasto que pode se tornar muito alto.

O gestor deve ser capaz de avaliar se os custos de constantes reparos não ultrapassam o valor de equipamento novo. Uma máquina parada significa que uma parte do processo foi interrompida ou ele será realizado com atraso, o que gera novos custos. O operador ficará ocioso enquanto o seu instrumento de trabalho está indisponível. Há o pagamento para adquirir novas peças e o pagamento dos serviços da equipe técnica responsável pelo conserto.

Tempo de vida útil

Todos os equipamentos tecnológicos têm um período de tempo que é considerado o ideal para a sua utilização. Após esse prazo, os fabricantes recomendam a substituição da ferramenta, pois não é mais possível garantir o seu pleno funcionamento. Em média, esse prazo corresponde a sete anos de uso para veículos como empilhadeiras.

Os reparos podem manter o equipamento em operação até certo ponto. Quando os custos de manutenção ultrapassam o custo de aquisição é preciso repensar qual é a melhor estratégia e considerar trocar a empilhadeira.

Quantidade de horas trabalhadas

No caso de uma empilhadeira, a combustão interna com dez mil horas de uso, equivalente a cerca de 4-5 anos de uso, já não é eficiente financeiramente e começa a requerer mais reparos e substituição de componentes do que é aceitável. A quantidade de horas ideais de uso para cada modelo de empilhadeira deve ser informada pelo fabricante para que o empresário tenha condições de manter um controle sobre a utilização.

Muitas empresas só adotam medidas corretivas e enviam os equipamentos para reparo quando já se encontram danificados. O segredo para prolongar a vida útil e evitar trocar a empilhadeira reside na adoção de medidas preventivas. É preciso programar manutenções frequentes no equipamento para realizar a inspeção dos componentes internos, peças e pneus.

As manutenções podem ser programadas para ocorrer a cada 500 horas de operação. Deve-se verificar o estado do motor e dos mecanismos hidráulicos, realizar troca de óleo, ajustes de peças e luzes de sinalização.

Com esses conselhos, antes de trocar a empilhadeira, é possível mantê-la por um longo período em pleno funcionamento e oferendo condições seguras para todos os envolvidos.

Gostou do nosso artigo? Assine a nossa newsletter e receba conteúdos e novidades sobre o assunto.

Compartilhe:

Nossos
CLIENTES

Entre em contato, tire suas dúvidas!