• RIO GRANDE DO SUL
    (51) 3785-4944
  • SANTA CATARINA
    (48) 4042-2779
  • PARANÁ
    (41) 4042-3009
  • SÃO PAULO
    (11) 3042-3949
  • (51) 98189-0833
BLOG

ENTREGA E ASSISTÊNCIA TÉCNICA EM TODO BRASIL.
CONDIÇÕES ESPECIAIS NO TELE-VENDAS

Como escolher o estoque ideal para uma empresa?

19 de fevereiro de 2019
Gestão de estoques

O estoque dentro da sua empresa deve ser considerado capital aplicado. Afinal, enquanto não é vendido, não há retorno, apenas despesas. Descubra aqui como escolher o estoque ideal para uma empresa.

Nesse sentido, a escolha entre os tipos de estoque tem se tornado um processo que faz parte do planejamento estratégico de um negócio, já que pode influenciar diretamente no resultado da empresa e na qualidade do atendimento para o cliente final.

A decisão, porém, não é simples, e deve ser estudada de forma aprofundada. Isso porque há vários fatores que podem influenciá-la: demandas, sazonalidade, o produto que a empresa produz ou a mercadoria que o varejista vende, mudanças no mercado, situação econômica do país, entre outros.

E você? Sabe o tipo de estoque ideal para o seu modelo de negócio? Continue a leitura para conhecer as opções disponíveis.

Quais são os tipos de estoque?

Sendo um aspecto tão importante, para escolher dentre os tipos de estoque o modelo que mais se enquadra com o seu negócio, é preciso entender um pouco do que se trata as opções e para qual estilo de empresa cada um é mais adequado.

1. Estoque de antecipação

O estoque de antecipação é também conhecido como estoque sazonal ou estoque com previsão de demanda.

Esse tipo de estoque é fundamental para empresas que trabalham com oscilações de demanda, ou seja, têm picos de vendas durante certas épocas do ano, como no Natal, Dia das Mães, Dias das Crianças, ou época de promoções — como é o caso da Black Friday.

Nessa opção a empresa acumula um grande volume de mercadorias populares para que a necessidade dos clientes seja atendida de prontidão.

Outro motivo de escolha para o estoque de antecipação é que ele também tem foco nas indústrias produtoras. Isso porque, quando percebem que o fornecedor está com problemas produtivos, por segurança, os estoques são aumentados para que a linha de produção não pare caso haja uma eventual falha de fornecimento.

2. Estoque de ciclo

O estoque de ciclo pode ser a melhor alternativa para as empresas que trabalham com a comercialização de mercadorias simultâneas, mas que não são produzidas em um mesmo momento. Assim, é preciso que tenham componentes o suficiente para o atendimento da demanda de todos os itens, o que faz com que o estoque tenha alta rotatividade.

Para isso é preciso ter diversos componentes, cada um com um ciclo, quantidades mínimas, localização e armazenagem bem definidas de acordo com a demanda planejada, para que não haja ruptura no estoque e nem que a empresa tenha prejuízo, caso ocorra alguma queda na demanda.

3. Dropshipping

Sabe quando você compra algo online, e nas notas de rodapé aparece o nome de outra marca como produtor da mercadoria? O dropshipping está dentro dos tipos de estoque, mas é também um modelo de varejo.

Serve especialmente para as empresas online que apenas vendem o produto, encaminhando a ordem de compra para o produtor, que será o responsável pelo envio do item.

Ou seja, a loja virtual faz a venda, mas o estoque é de outra empresa parceira do site. Nesse processo, é essencial que todas as empresas envolvidas tenham as responsabilidades bem definidas para ninguém sair perdendo.

4. Estoque de proteção

O estoque de proteção, como o próprio nome já diz, tem como objetivo proteger o produtor ou varejista de qualquer problema com a mercadoria. Desse modo, previne o empreendedor em caso de greves ou indisponibilidade de compra do material.

Para escolher esse tipo de estoque é preciso analisar a área de atuação da empresa e verificar a tendência que o negócio tem em relação a surpresas ao longo dos períodos. Com isso, é possível aumentar os níveis de estoque como forma de prevenção na situação de um eventual desabastecimento.

Vale ressalta que essa alternativa é uma das mais utilizadas no setor do varejo para proteger as operações de vendas.

5. Estoque de canal

O estoque de canal pode que também ser chamado de estoque em trânsito, nada mais é do que o estoque de mercadorias que está a caminho de sua empresa. Nesse tipo, é necessário manter um grande controle sobre seus produtos, pois o risco de perda é grande, principalmente de itens que tenham um transit time maior.

6. Estoque inativo

O estoque inativo se refere àqueles produtos que se tornam obsoletos e perdem sua força de venda. É um dos maiores prejuízos que uma empresa pode ter, já é um dinheiro investido que não houve retorno e, portanto, é um resultado negativo para a empresa.

Quando esse tipo de estoque ocorrer, o principal ponto é ter um bom relacionamento com os fornecedores, que podem permitir trocas por outras mercadorias. Outra opção é a empresa aproveitar os momentos de promoções para que consiga vender os itens, mesmo que com um valor menor do que o esperado.

7. Estoque zero (Just in Time)

Trabalhar com estoque zero é também uma estratégia de estoque. Muitas empresas funcionam com o sistema JIT (Just in Time), que significa ter o produto no momento em que se necessita. O conceito criado no Japão convém para negócios que trabalham com uma demanda específica e determinada, com tempo para a puxada dos materiais.

É um modelo muito utilizado para componentes das indústrias automobilísticas, nas quais o preço de cada material é elevado. Dessa forma, a empresa não corre o risco de perder material por avaria ou obsolescência, porém, o risco de desabastecimento é mais alto, já que não há um estoque de proteção.

Como escolher o estoque ideal para uma empresa?

Os tipos de estoque citados são apenas alguns dentro de uma diversidade de opções. Como escolher o estoque ideal para uma empresa está diretamente ligada ao tipo de serviço ou produto — e também do mercado de atuação.

Itens de necessidade primária, como alimentação básica, por exemplo, são mercadorias que sempre têm muita procura, mesmo em tempos de crise. Os artigos de luxo, no entanto, tendem a ser menos consumidos quando o poder aquisitivo da população diminui. Por esse motivo é preciso estar muito atento na hora da tomada de decisão.

Lembrando que os produtos parados é dinheiro parado, e você não quer isso para sua operação, certo? Sendo assim, as decisões do tipo de estoque não devem ser tomadas sem um estudo concreto. Para ser assertivo, é essencial que o gestor entenda do que se trata cada modelo e como ele pode influenciar no resultado do negócio.

E aí, deu para entender como escolher o estoque ideal para uma empresa? Que tal deixar um comentário no post para compartilhar suas experiências sobre o assunto?

Compartilhe:

Nossos
CLIENTES

Nossas unidades

Temos unidades em 4 Estados

RIO GRANDE DO SUL

Berto Círio, 158,
São Luis - Canoas/RS

(51) 3785-4944

SANTA CATARINA

Rodovia José Carlos Daux,
4150 Florianópolis/SC

(48) 4042-2779

PARANÁ

Av. Cândido de Abreu, 776
Curitiba/PR

(41) 4042-3009

SÃO PAULO

Rua Sgt Alcides Oliveira, 549
São Paulo/SP

(11) 3230-6774